Por quantos relacionamentos fracassados você já passou?

Por quantos relacionamentos fracassados você já passou? Ou melhor, quantos relacionamentos você já teve? Daqueles de conhecer família, de andar de mãos dadas, de dar e receber presente a cada doze de junho, a cada aniversário de namoro, a cada vez que, mesmo sem motivo, você se sentisse surpreendido pelo que quer que fosse. Parece bom. E se você já passou por isso e, namorando ou não atualmente, tem histórias e lembranças boas do que foi sério e durou, esqueça. Estas palavras não são pra você.

Ah, mas se você ainda continua na incessante busca de alguém bacana, que divida problemas e compartilhe alegria, que pague seu almoço quando te faltar grana, mas não se incomode de ter o jantar na faixa quando a conta bancária em dia for a sua, então a gente tá no mesmo barco.

Juro que fico me perguntando, todos os dias, há alguns anos. Quando será que vai dar certo? Pessoas existem aos montes e, cá entre nós, despidos de prepotência, sabemos que sempre há alguém na cola dando bola e dando sopa por aí. Mas… Será que vale a pena se jogar?

Se o primeiro encontro é bom, aposto que no segundo já há uma listinha interminável de probleminhas que você, de maneira alguma, quer viver, reviver ou conviver diariamente. E nem falo de situações estéticas, porque, aqui em off, hoje em dia você nem liga mais pro peso, pra altura e pra cor do cabelo, não é?

O que a gente mais quer é alguém que nos deixe com a cabeça nas nuvens. Sem tirar os pés do chão. Alguém que surpreenda nos mínimos detalhes e que, finalmente, você morra de vontade de surpreender também. Que faça a gente sentir friozinho na barriga. Sim, friozinho na barriga é sinônimo de insegurança, mas aquela boa, que a gente sente por pensar: será que acertei no presente? Era meio-amargo ou ao leite o chocolate preferido?

Cara, diante de tantas vontades, a gente precisa admitir que no fundo nem se exige e sequer exige dos outros tanto assim. É um final de semana junto, grudado, vendo o sol de pôr e o sol nascer. Dividindo os três maiores anseios do dia: o que vai ter de café da manhã, de almoço e de janta. A gente só quer alguém pra ligar e dizer que teve um dia de merda, ou dizer que finalmente foi promovido, que achou a blusa que tanto queria, que o vinho português tava na metade do preço no mercadinho em frente à praça.

Aí vem aquela velha dúvida: fico esperando ou traço meu próprio destino? Termino tudo isso dizendo que, por mais clichê e bobo que possa parecer, esperar ou traçar uma rota não muda em nada a hora de finalmente aparecer alguém bacana. Que talvez te ouça dizer do vinho em promoção, mas não saiba diferenciar um Merlot de um Malbec. Que te faça surpresa, mas erre no sabor do chocolate. Que te deseje bom dia, mas vez ou outra precise sair correndo atrasado e sem tempo pra dizer que te ama.

A pessoa certa aparece quando a gente planeja e quando a gente nem pensa. Controverso? Mas é verdade. A pessoa certa aparece a qualquer hora, quer queira, quer não. E arrebata mostrando que às vezes o que a gente mais queria não era nada disso que eu escrevi até agora. O que a gente queria, depois de tanta desilusão e tantas promessas de nunca-mais-me-relacionar-com-ninguém, era só ser amado de verdade.

Bom vai ser o dia em que o mundo todo se resolver. Aí a gente começa a ler um texto como esse se sentindo seguro e sem a menor vontade de continuar depois de responder às perguntas do primeiro parágrafo.

2c68daafdaa05fb19d190e4354602d4d

*Estreando o primeiro texto do nosso mais novo colaborador Milton Schubert! Milton, é muito bom tê-lo aqui com a gente. Seja bem vindo! <3

Para se inspirar… Utensílios de cozinha!

Ultimamente, eu e o Fê viramos os loucos da decoração e passamos praticamente o dia todo falando sobre isso e buscando referências para nossa casa nova, o Pinterest está nos ajudando bastante nisso.
Durante essas pesquisas, encontramos itens de cozinha que ficamos APAIXONADOS! Estamos falando da artista francesa Amelie Mancini que cria alguns produtos de madeira maravilhosos para cozinha. Infelizmente a maioria dos produtos estão indisponíveis, mas vale a pena olhar, se inspirar e apaixonar.

Ps: Falta pouco para finalmente estarmos no nosso novo aconchego e até lá se preparem para ver muitas das nossas inspirações por aqui. Uma coisa eu já adianto: nossa casa vai ter muita madeira, cores, tijolinho, coisas rústicas, tutoriais de “faça você mesmo”, parceiros maravilhosos e muito amor! :)

Ps2: Já curtiu a nossa página no Facebook?

spoon

cherryboardCfront

spoon3

LeftField_12_800

ameliemancinistudio_02

Um restaurante por semana 6/46 – Bien!

O restaurante dessa semana é o delicioso Bien, que fica na Rua Pedroso Alvarenga, 937 – Itaim Bibi! Como o nome sugere, o foco do restaurante é em comidas saudáveis, mas sem deixar de lado o sabor. O cardápio é bem variado e segue uma lógica curiosa: é separado por tipos de pessoas. Existe uma parte para jovens, outra para estressados, esportistas, namoradeiros e etc. Os pratos são pensados para agradar todos os tipos!
Começamos com um couver surpreendente, acompanhadas por 2 dips sensacionais. Para abrir o apetite, escolhemos o drink refrescante Pomme Au Vin (R$ 21), com vinho espumante, maçã, gengibre e grenadine.
Para o prato principal o Fê optou pelo arroz com alcaparras e palmito, purê de cenoura com mel e rosbife de mignon (R$ 58). Eu, como seeempre, preferi o risoto com rúcula e tomate seco acompanhado de escalope de mignon com molho de damasco (R$ 41).
Depois de tantas opções, já estávamos mais do que satisfeitos, mas não conseguimos deixar de provar o cheesecake, que é uma delícia!
O ambiente é super agradável e é uma boa pedida para um almoço de sábado! Podemos dizer sem dúvidas que o Bien nos agradou muito!

IMG_2904

IMG_2859

IMG_2858

IMG_2856

IMG_2865

IMG_2875

IMG_2883