Um restaurante por semana 27/52 – Bullguer

Nossa, a gente tava olhando aqui e percebemos que fazia muuuito tempo que não íamos em uma hamburgueria. E convenhamos, desde que começaram a surgir essas hamburguerias super legais aqui em SP, não dá mais para ficar tanto tempo sem, né?! É quase que um vício hahaha
Maaas, normalmente esse hábito sai caro. É muito mais comum do que deveria encontrar lugares legais onde não se come a dois por menos de 100 reais. Isso é muito ruim, porque acaba afastando as pessoas da cultura de comer hambúrgueres artesanais.
Eis que conhecemos o Bullguer! O lugar é super novo, mas já tínhamos anotado ótimas referências de lá e percebemos que vive lotado. A proposta deles é aliar a rotatividade e furor das antigas lanchonete a um ambiente mais aconchegante e moderno.
Acertaram em cheio, o clima é animado e a comida é rápida, porém deliciosa. Para estender nossa estada lá, começamos com a ótima porção de fritas ($9) que tem um formato bem incomum, porém muitoooo gostoso!
Pela porção já dá pra sacar a honestidade deles em relação ao preço, que continua na parte dos lanches. Apesar de enxuto, o cardápio é certeiro para quem gosta do lanche. A Isa escolheu um dos carros chefes de lá, o Lumberjack ($18) que mostra bem essa simplicidade: é pão, carne, queijo, bacon e picles. E precisa de mais?!?!
Bom, acho que eu fui na versão mais complexa de lá, mas que continua super simples. O Uovo ($18) é pão, carne, queijo, ovo e maionese. Ambos deliciosos e super verdadeiros ao sabor desse nosso lanche favorito, bem temperado, a carne é suculeta, o queijo cremoso e ainda vem com esse charme do pão marcado pela brasa com o nome de lá, aprovadíssimo.
Mas os mais atentos perceberão a nossa gordice, hahaha. Olhando ao redor, achamos que o lanche não parecia muito grande, como os de costume nas hamburguerias. Então optamos pela versão dupla, que pode se aplicar a qualquer opção. Você tem duas carnes e duas camadas de queijo por uma adição de $6 reais. Vale a pena, viu, porque você vai querer mais! hahaha
Para conhecer, o Bullguer fica na R. Diogo Jácome, 606

IMG_2261

IMG_2243

IMG_2240

IMG_2252

IMG_2245

IMG_2247

IMG_2258

IMG_2292

IMG_2283

IMG_2303

IMG_2307

Um restaurante por semana 19/52 – Mawari

Nunca foi segredo a nossa paixão pela culinária japonesa, mas para ser sincero a gente já meio que cansou das mesmas opções e experiências servidas nos vários rodízios que se multiplicam a cada esquina aqui de SP.
Por isso fomos conhecer o Mawari, lugar que tem um proposta bem diferente nesse sentido. Diferente para gente, pois a esteira é a maneira de servir mais popular no Japão. A ideia é simples, os cozinheiros preparam um prato e colocam na esteira, que passa na frente de quem está no restaurante. Deu vontade de comer, é só pegar e se deliciar.
Cada pratinho tem uma cor e cada cor representa um valor. Daí é só empilhar os seus pratinhos para saber o quanto comeu. Simples, delicioso e inovador. Esse é o Mawari, que serve desde os pratos mais típicos japoneses, até as nossas invenções ocidentais.
Quer conhecer, é só chegar na Rua Henri Dunant, 1383

IMG_8608

IMG_8665

IMG_8632

IMG_8601

IMG_8618

IMG_8716

Um restaurante por semana 18/52 – Farabbud

Não é novidade que a culinária árabe faz muito sucesso entre a gente, né?! Se bem que talvez eu goste bem mais do que a Isa, nunca é muito fácil convencer ela a ir em algum árabe hahaha. Mas, quando mostrei o cardápio do Farabbud, ela topou na hora!
Ele é um restaurante bem tradicional e foi um dos primeiros a explorar a comida árabe de verdade, sem considerar um fast food de salgados. Ele fez escola aqui em SP, muitos restaurantes (que a gente também já visitou aqui pro blog) seguem a mesma linha de cardápio deles.
Como sempre, a tradição mostra o seu valor! De entrada, pedimos a Quadra de Ases ($53,30), uma degustação que combina as entradas mais pedidas. Tem kibe cru, trigo frique, coalhada, babaganush, homus e linguiça árabe. Essa entrada não pode faltar no seu pedido, é um banquete e serve como jantar por si só. Aliás, com certeza ele é o ponto alto de lá, muiiito gostoso.
Para o prato principal seguimos a linha bem tradicional. a Isa pediu o Chacrie ($53,30), que são pedaços de fraldinha cozidos na coalhada, acompanhados de arroz cherry e cebola frita na manteiga. Muito saboroso e o molho de coalhada deles é super cremoso.
Eu ousei um pouco mais e fui no Chich Barak ($46,30), composto de capeletti de vitela apurado na coalhada, com cebola dourada, pinoli e hortelã. Tava muito bom, nunca imaginava que um restaurante árabe fosse mandar tão bem nessa massa. Captou totalmente o clima árabe!
Resumindo, vale a pena conhecer o Farabbud, que fica na Alameda dos Anapurus, 1253 – Moema, SP.

IMG_8264

IMG_8219

IMG_8222

IMG_8228

IMG_8230

IMG_8232

IMG_8236

IMG_8246

IMG_8260

IMG_8221